Arquivo da categoria: Bullying

Cremilda denuncia escola EE João Ramalho.


Cremilda Estella Teixeira denunciou abuso praticados pela escola estadual EE João Ramalho, São Bernardo do Campo/SP.
A direção escolar desrespeita os direitos dos pais e ainda faz denúncias por “desacato” na delegacia de polícia.

O programa Assembleia Popular é gravado todas as quartas-feiras na Assembleia Legislativa de SP e vai ao ar aos sábados, às 12h, pela TV Alesp.

Vídeo editado por Mauro Alves da Silva
http://movimentocoep.com
movimentocoep@yahoo.com

Comentários desativados em Cremilda denuncia escola EE João Ramalho.

Arquivado em Alunofobia, Bullying, Cartilha dos Corvos, Geraldo Alckmin, Prêmio IgNóbil de Educação, Professorinha-santa

Prêmio IgNóbil de Educação 2012 – vote na lista final e concorra a brindes.

Prêmio IgNóbil de Educação 2012 – vote na lista final e concorra a brindes.

1. Escola pública Maria Tomázia Coelho(Florianópolis, em Santa Catarina) – mandou aluna para a delegacia de polícia depois que ela denunciou mazelas da escola em site;

2. Escola estadual Reverendo Augusto da Silva Dourado(Sorocaba, SP). A escola fraudou as notas dos alunos no Saresp. Todos os alunos tiraram nota 10 em matemática! Melhora da nota garantiu bônus aos professores, funcionários e direção escolar;

3. Partido Democratas– por sua famigerada ação judicial no Supremo Tribunal Federal contra as cotas raciais nas universidades públicas. Apesar da advogada do DEM dizer que Neguinho da Beija-flor é eurodescendente e impossível dizer quem seria negro, a ação do DEM foi rejeitada por unanimidade no STF;

4. Colégio São Bento(Rio de Janeiro – RJ) continua as aulas normalmente após aluno de 12 anos cair do 5ºandar do prédio da própria escola (aluno seria vítima de bullying);

5. Caic (Centro de Atenção Integral à Criança) Unesco de São Sebastião(Brasília) – portão de ferro cai em cima de aluno cego de 11 anos… vice-diretora culpa as crianças, elas ficariam se balançando no portão;

6. Secretaria Estadual de Educação de SP– descumpre a Lei de Acesso à Informação e cobra R$ 20 e mais R$ 2 por página dos alunos, mães, pais e comunidade que querem ter acesso aos documentos escolares (regimento interno, calendário escolar etc);

7. Sindicato de professores do Estado de São Paulo– fizeram Greve do Ócio para receber em dobro o horário em que ficam fora da sala de aula;

8. Sindicato dos professores da cidade de São Paulo– Creve contra as criança, para fechar as escolas das crianças pequenas em dezembro e janeiro;

9. Escola Estadual Geraldo Melo(Maceió – Alagoas) – Alunos são revistados pela polícia dentro da sala de aula em busca de drogas e armas… As professorinhas-santa não são revistadas;

10. Colégio Objetivo(São Paulo, SP) – por sua propaganda enganosa ao dizer que seu sistema de ensino é primeiro lugar no ENEM, omitindo a informação de que criaram uma escola com uma única classe e com alunos escolhidos a dedo…. Não ganhou em 2011… continua enganando e concorrendo em 2012;

11. Escola Municipal Infantil Bidu(Taboão da Serra, SP) – faz propaganda do “professor-visitador” (vai até a casa dos alunos), enquanto que deixa crianças de 5 anos sozinhas na sala de aula (TV de 29 polegadas cai em cima de criança de 5 anos dentro da sala de aula)…

Você também pode indicar outros “candidatos” ao Prêmio IgNóbil de Educação 2012.

As indicações devem ser feitas enviando um email para ignobil2012@gmail.com, informando o nome do indicado, o seu endereço e o motivo da indicação.
Haverá um sorteio de um tablet (TABLET FOSTON FS-M785 7 POLEGADAS 4GB WIFI, SUPORTA 3G) entre as pessoas que fizerem indicações ou votarem em um dos indicados através do email ignobil2012@gmail.com

Todos os que votarem até o dia 12 de outubro de 2012 ganharão uma versão digital da cartilha “COMO EDUCAR MEU PROFESSOR EM 10 LIÇÕES”.

http://movimentocoep.ning.com/

1 comentário

Arquivado em Alunofobia, Bullying, Cartilha dos Corvos, Eleições 2012, Geraldo Alckmin, Impunidade, Prêmio IgNóbil de Educação, Professorinha-santa, Professorzinho-santo

Governo de SP desrespeita a Lei de Acesso à Informação. Cobra taxa de R$ 20 mais R$ 2 por página.

O Tribunal de Justiça cobra apenas R$ 0,40 centavos por página copiada. Veja aqui.

A Secretaria Estadual de Educação de SP (SEE-SP) está utilizando-se de uma esperteza para dificultar que alunos, mães, pais e comunidade tenham acesso às informações sobre as mazelas das escolas e da educação paulista: exige o pagamento de R$ 20,28 até mesmo para quem quer uma cópia do regimento interno de uma escola pública, o que deveria ser “de graça”… isso sem falar na cobrança adicional de mais R$ 2,03 por cada página a ser copiada. Veja aqui. (Diário Oficial do Estado de SP, 21-12-2011, página 55).

Memória:

No ano de 2007, o então governador José Serra chamou de chantagem criminosa a cobrança de taxas nas escolas públicas, a exemplo da cobrança de R$ 1 real de cada aluno para fazer prova na escola estadual EE Maria da Gloria Costa e Silva.
Naquela época, a Secretaria Estadual de Educação de SP informou que enviara um questionário a todas as escolas, exigindo-lhes informações sobre a existência das ilegais cobranças de taxas, xerox, carteirinhas, uniformes, passeios etc.
A SEE-SP disse, à imprensa, que estaria enviando um questionário a todas as escolas públicas estaduais:

URGENTE
Considerando:
– a proibição legal;
– as reiteradas orientações; e
– indícios de descumpriimento.
solicito que, imediatemente, sejam cientificados inequivocamente do contido nos artigos 8º e seguintes do Decreto 12.983, de 15/12/78, referente, especialmente, ao caráter facultativo das contribuições às associações de pais e mestres; do disposto nos itens 7, 8, 9, 10 e 11 da mensagem nº19, de janeiro de 2007, desta coordenadoria de ensino.
concomitantemente, a direção deverá declarar em ofício os casos de cobranças irregulares sob pena de responsabilidade, oferecendo todas as informações a respeito do assunto e, principalmente, as medidas administrativas adotadas com o preenchimento da tabela abaixo (em anexo):
Como é feita a cobrança (Carteirinha escolar, Uniforme escolar, Avaliações, Simulados, APM, Outras, especificar)?
Qual é o procedimento com quem não pode pagar?
Existe ata com a deliberação do Conselho de Escola?
Consta no Regimento Escolar Homologado?

Com a Lei de Acesso à Informação (lei federal 12527/2011), resolvemos confirmar se a SEE-SP realmente cumpriu a ordem do então governador e se houve punições contras generalizadas e ilegais cobranças em escolas públicas… Requisitamos também cópias de s internos, calendários escolares, atas de reunião de conselhos de escola. Relatórios de fiscalizações sobre violências escolares…

No caso das ilegais cobranças de taxas nas escolas públicas, a SEE-SP respondeu:

“Informamos que o requerente, comtodo respeito ao seu subscritor, é vazado em termos genéricos, não identificando o ponto fatual, nem mesmo eventuais escolas que teriam feito cobranças indevidas (…)”. vide documento aqui.

Ou seja: a secretaria estdual de Educação SP simplemente ignora que ouve o envio de questionárioa ás escolas ou está escondendo as respostas das escolas.

Caso da escola pública estadual EE Octcilio de carvalho Lopes

continua…

São Paulo, 10/09/2012.
Mauro Alves da Silva
Coordenador do Movimento Comunidade de Olho na Escola Púbica
http://movimentocoep.ning.com/

3 Comentários

Arquivado em Alunofobia, Bullying, Cartilha dos Corvos, EE Octacílio de Carvalho Lopes, Geraldo Alckmin, Impunidade, Professorzinho-santo

Em SP, Conselho de Escola é manipulado até para violar leis.

Atas do Conselho de Escola da EE Adelaide Ferraz de Oliveira provam ilegalidades e manipulação do seu conselho de Escola…
Livro de Atas do Conselho de Escola da EE Octacílio de Carvalho Lopes foi roubado em 2009… também foi informado o roubo do Livro de Ocorrências…

Todo dia 19 de cada mês fazemos questão de lembrar o caso do professor que xingou um aluno de “bicha” e, mesmo assim, foi promovido a “professor-coordenador” na escola vizinha e na mesma rede. Pior do que isso foi o fato da Secretaria Estadual de Educação de SP (SEE) assinar um documento oficial dizendo que é normal professor usar termos chulos para cativar seus alunos: xingar aluno de “bicha”

O caso aconteceu na escola estadual EE Octacílio de Carvalho Lopes (Arthur Alvim, zona leste da Capital de SP), em 19 de abril de 2004, sendo denunciado no mesmo dia tanto na diretoria da própria escola quanto na delegacia de polícia mais próxima (65º Distrito Policial), denúncia de ofensas e também agressões físicas. O exame de corpo de delito confirmou “lesão corporal leve” no pescoço do aluno.r
Mesmo com o amplo conhecimento o caso, a Diretoria de Ensino Leste – 4 homologou a indicação do referido professor como”professor-coordenador”na escola vizinha, escola estadual EE Adelaide Ferraz de Oliveira, alegando inclusive que a escolha teria sido feita pelo próprio Conselho de Escola…

Desde então, as entidades ligadas ao Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública (COEP – http://movimentocoep.ning.com/) sempre cobraram que os dirigentes da Secretaria Estadual de Educação de SP (SEE), incluindo o secretário Gabriel Chalita, apresentassem cópias das atas dos conselhos de escola das duas escolas, o que certamente provaria a ação (ou omissão) de professores e diretores, sonegando informações fundamentais para que o Conselho de Escola pudesse escolher, de forma consciente, um professor sob o qual não pesassem graves denúncias

Embora existisse uma lei estadual desde 1999 (Lei de defesa do usuário do Serviço Público), a Secretaria Estadual de Educação de SP sempre negou acesso às cópias das atas dos Conselhos de Escola da EE Octacílio de Carvalho Lopes e da EE Adelaide Ferraz de Oliveira.

Lei de Acesso à Informação –lei federal 12527/2011.

Com a instauração da Quarta República, inaugurada pela presidenta Dilma Rousseff em 16 de maio de 2012 (entrada em pleno vigor da lei federal 12527/2011), a sociedade paulista e brasileira, incluindo as entidades do Movimento COEP finalmente estão tendo acesso aos documentos das escolas, documento mantidos trancados a 7 chaves por direções autoritárias que se achavam no direito de sonegar as mais básicas informações os seus empregadores e patrões: o cidadão.

As Atas do Conselho de Escola da EE Adelaide Ferraz de Oliveira em2004.

Na primeira ata do ano de 2004, uma reunião “extraordinária” em 2 de fevereiro, já é possível identificar flagrantes irregularidades:
1) Não identifica o início e nem o horário de término da reunião. Será que algum dos professores presentes estaria “em horário de aula”?
2) Não faz leitura prévia dos assuntos a serem deliberado nesta reunião “extraordinária”. Note-seque a diretora “aproveita” para pedir ao Conselho que referende a continuidade da pessoa responsável pela zeladoria.
3) Onde está alista de presença? As assinaturas das atas são de quais representantes de quais segmentos?

Na segunda ata do ano de 2004, uma reunião “ordinária” em16 de março, nós encontramos outro festival de irregularidades:
1) Não diz qual é a hora do início da reunião. Já começa falando em “segunda chamada”, às 20h;
2) O primeiro tema a ser debatido “votação, digo, eleição dos membros do Conselho de escola” (sic).
Nosso comentário: Vejam que não foi respeitada diretriz da própria Secretaria de educação de SP, que determina que o conselho de escola seja eleito em assembléias distintas pelos seus próprios pares: “Os representantes de professores, especialistas de educação – diretor, vice diretor, coordenador – funcionários, pais e alunos serão eleitos pelos seus pares, ou seja, por grupos de alunos e de pais, através de assembléias distintas, convocadas pelo Diretor de Escola. A eleição dos membros do Conselho de Escola será lavrada em ata, registrada em livro próprio e com a assinatura de todos os participantes, devendo ser afixada em local visível para toda a comunidade escolar”.

Continua…

São Paulo, 19 de julho de 2012.
Mauro Alves da Silva.
Coordenador do Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública
http://movimentocoep.ning.com/

1 comentário

Arquivado em Alunofobia, Bullying, EE Octacílio de Carvalho Lopes, Geraldo Alckmin, Professorinha-santa, Professorzinho-santo

Lei de Acesso à Informação – INEP libera notas do ENEM 2009 e dados das escolas do Brasil. A prova das fraudes nos bônus do Idesp…

Agora as fraudes no Idesp 2011 podem ser comprovadas facilmente.

Com adivulgação pública do número de alunos matriculados em cada série de cada escola do Brasil, a sociedade paulista e brasileira poderá comprovar a manipulação dos dados sobre desempenho das escolas paulistas no Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo.

Inaugurada pela presidenta Dilma Rousseff, a “Quarta República” começa a dar os primeiros frutos: o Ministério da Educação (MEC) e o seu Instituto Nacional Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) começam a divulgar os dados educacionais que eram mantidos trancados a sete chaves: as notas das escolas nos exames do ENEM dos anos anteriores (de 2009, por exemplo) e também os dados individuais das escolas brasileiras (número de alunos matriculados por série; e o número de professores).

Através da divulgação dos dados do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), no site do INEP/MEC, era possível comprovar o número de alunos matriculados na 3ª série do ensino médio. Mas não havia dados sobre o ensino fundamental, o que está sendo possível obter agora através da Lei federal 12527/2011, Lei de Acesso à Informação.

(…)

O caso da EE Octacílio de Carvalho Lopes é mais grave, pois a Secretaria Estadual de Educação de SP informa que a escola atingiu a meta de aumento de desempenho em 20%, o que dá direito a um bônus de até 2,9 salários para cada professor… Os dados das matriculas 2011, divulgados pelo Inep/MEC, dão conta de que apenas 83% dos alunos do 9º ano do ensino fundamental foram avaliados (92 de 111 matriculados) e, no caso da 3ª série do ensino médio, apenas 58% dos alunos foram testados (75 de 129 matriculados)…

Leia o artigo completo aqui

Comentários desativados em Lei de Acesso à Informação – INEP libera notas do ENEM 2009 e dados das escolas do Brasil. A prova das fraudes nos bônus do Idesp…

Arquivado em Alunofobia, Bullying, EE Octacílio de Carvalho Lopes, Eleições 2012, Geraldo Alckmin, Impunidade, Presidenta Dilma, Professorinha-santa, Professorzinho-santo, TV Globo

Mais uma piada de tucano. Serra escolhe Alexandre Schneider (PSD) como vice.

30.junho.2012 11:09:18

Serra escolhe Alexandre Schneider (PSD) como vice

* Atualizado às 15h58

Bruno Boghossian, do estadão.com.br, e Julia Duailibi, de O Estado de S. Paulo

O pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, escolheu Alexandre Schneider (PSD) para a vaga de vice em sua chapa. A informação foi confirmada pela equipe de campanha.

Ex-secretário municipal de Educação, Schneider é uma indicação do prefeito Gilberto Kassab (PSD), mas enfrentava oposição dentro do PSDB. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) resistia a ceder espaço a Kassab na chapa e tentava emplacar na vaga de vice um nome mais palatável ao seu próprio partido. Serra conseguiu o aval de Alckmin para fazer a indicação depois de uma reunião com o governador no Palácio dos Bandeirantes, na noite de sexta-feira.

Dois dos principais cabos eleitorais da disputa, Alckmin e Kassab disputavam o poder de indicar o vice. O prefeito se fortaleceu e assegurou seu espaço depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu conceder uma fatia maior de tempo ao PSD na propaganda eleitoral na TV.

Em reuniões com aliados na sexta-feira, Serra disse que estava convencido de que o vice não deveria ser um nome do PSDB. No fim da noite, o candidato se encontrou com Alckmin para tentar selar a nomeação de Schneider. Depois de tentar erguer barreiras à escolha de um nome indicado por Kassab, o governador admitiu que o prefeito teria direito de escolher o companheiro de chapa do tucano.

Schneider conta com o apoio da equipe de marketing do candidato: é considerado um rosto novo numa eleição que terá candidatos que nunca disputaram uma campanha, como Fernando Haddad (PT) e Gabriel Chalita (PMDB). Além disso, tem no currículo a educação como principal especialidade – o que, em tese, pode ajudar nos embates com Haddad e Chalita, que foram ministro e secretário estadual de Educação, respectivamente.

Serra já tendia a acatar uma indicação de Kassab, mas passou a sofrer pressões do PSDB para que o candidato a vice fosse do próprio partido. A decisão do STF que ampliou a participação do PSD no rateio do tempo de TV na propaganda eleitoral empurrou Serra na direção do nome indicado por Kassab. Antes da decisão judicial, o PSD teria direito a uma pequena fatia da propaganda eleitoral e do Fundo Partidário, por não ter participado da última eleição – o partido foi criado em 2011. Agora, a sigla ganhou força e deixa Serra com o maior tempo no horário eleitoral gratuito – 7min42s contra 7min30s de Haddad.

O governador Geraldo Alckmin, que preferia uma alternativa de dentro do PSDB ou mesmo no DEM, disse a interlocutores que, com a decisão do Supremo Tribunal Federal, a indicação seria mesmo do prefeito. O grupo de Alckmin queria evitar a escolha de Schneider, que abandonou o PSDB em 2011 para se filiar ao PSD de Kassab. O ex-secretário também não é bem visto pelos alckmistas por ter apoiado a eleição de Kassab em 2008, em uma disputa contra o próprio Alckmin.

Alexandre Alves Schneider é mestre em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas. Ele dirigiu a Secretaria Municipal de Educação entre 2006 e 2012.

http://blogs.estadao.com.br/radar-politico/2012/06/30/serra-escolhe-alexandre-schneider-psd-como-vice/

Comentários desativados em Mais uma piada de tucano. Serra escolhe Alexandre Schneider (PSD) como vice.

Arquivado em Alunofobia, Bullying, Eleições 2012, Impunidade, Prêmio IgNóbil de Educação, Professorzinho-santo

Professorinha-santa manda os pais usarem a vara no filho. #psicologosfajutos

Os pais de um menino de 12 anos acusam uma professora de português de uma escola municipal de Sumaré (SP) de sugerir o uso de ‘cintadas’ e ‘varadas’ como forma de educar o filho. Em um bilhete em papel timbrado da Escola Municipal José de Anchieta, a educadora solicita que os pais conversem com o aluno porque o garoto estaria tendo comportamento inadequadro na sala de aula. Em observação escrita à mão, a professora diz que, caso a conversa não resolvesse, a alternativa seria partir para a agressão. “Quer conversar com o seu filho? Se a conversa não resolver. Acho que umas cintada vai resolver (sic)”, escreve a professora.

Leia a notícia completa e assista ao vídeo no Portal G1

http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2012/06/professora-sugere-que-pais-usem-cinta-e-vara-para-educar-aluno.html

17 Comentários

Arquivado em Alunofobia, Bullying, Impunidade, Prêmio IgNóbil de Educação, Professorinha-santa, TV Globo