O PROJETO LOROTA DO CESAR CALLEGARI.

imagesSECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO DO HADDAD E SEU PROJETO LOROTA.

Nem foi questão de presságio, foi certeza mesmo. Quando o Haddad escolheu para Secretário de Educação da Cidade de São Paulo, o pior Secretário de Educação que Taboão da Serra já teve, era óbvio que não ia dar certo. Exatamente o que aconteceu.
O sociólogo Cesar Callegari, foi um Secretário de Educação omisso e ausente no Taboão da Serra. Os gatos longe os ratos fazem a festa e fizeram. O pior de tudo foi o seu PROJETO LOROTA que enganou quase todo mundo, eu fui uma das poucas pessoas que fizeram o papel do menino da fábula e gritei que era uma LOROTA, o tal PROJETO DA PROFESSORA VISITADORA.
A professora ganhava um salário extra para visitar os pais de alunos. O objetivo era ver os problemas das famílias: desemprego, violência doméstica e se o aluno tinha uma casa confortável se alimentava bem e se tinha um canto só dele para fazer seus deveres de casa. A professora então ajudava a família e estreitava laços com ela.
Começa que professora que trata bem os alunos, que dá uma aula de boa qualidade já tem dos pais todo carinho, não precisa visita-los.
Entre muitos “furos” do projeto está o seguinte: tá a professora vai na casa do aluno e vê que a mulher apanhou do marido alcóolatra e drogadicto e não tem um programa no Taboão da Serra para comportar um trabalho de grande monta. A professora descobre que o problema na casa do aluno é desemprego, ela não tem um emprego para oferecer.
Taboão da Serra é a menor cidade em extensão territorial, pobre mas tem mais de 230 mil habitantes, por daí dá para ver como o pobre se acomoda.
Criança com problema de aprendizado,problema psicológico e psiquiátrico não tem no Taboão um local onde fazer um tratamento adequado.
O que a PROFESSORA VISITADORA ia mesmo fazer nas casas dos alunos, além de assinar para receber um salário a mais no fim do mês ???

Anúncios

Comentários desativados em O PROJETO LOROTA DO CESAR CALLEGARI.

Arquivado em Uncategorized

Os comentários estão desativados.