A safadeza da Escola Pública

A safadeza da Escola Pública

A SAFADEZA DA ESCOLA PÚBLICA DO ESTADO DE SÃO PAULO
Aluno bonzinho, que termina o ensino fundamental e não pode esperar procura uma escola técnica para trabalhar o mais rápido que pode, então procura um curso profissionalizante.
Terminar o fundamental precisa ser aluno bonzinho, que faça lição de casa e trabalhos aos montes, de matéria que nem sempre é dada na escola. Tem que ser bem educado e não dar o azar de um professor não ir com a cara dele.
Depois de passar pelo crivo da escola pública o aluno da FATEC encontra o entrave financeiro. Se ele for mesmo muito pobre e não tiver uma boa quantia para pagar uniforme caríssimo, ele ainda encontra durante o ano a dificuldade. Tudo alí é pago e a peso de ouro. O aluno que não é bonzinho que é líder ou rebelde a escola expulsa rápido, os bonzinhos mas muito pobres ficam também sem nenhuma oportunidade de se qualificar e ter um emprego digno.
A ETC Camargo Aranha na Mooca em SP, usa a desculpa para lá de esfarrapada que é por segurança que exigem o uniforme.
No curso de cozinha, o aluno tem que usar sapato, não podem usar chinelo que pode cair água quente ou gordura. Tudo bem. O problema é que o sapato custa 70,00 e só pode ser comprado na escola.
Então o problema é medida de segurança mesmo. Pobre não estuda se estudar é um perigo para a Escola Pública falida e imoral.

Anúncios

Comentários desativados em A safadeza da Escola Pública

por | 24/02/2014 · 4:28 pm

Os comentários estão desativados.