PROFESSOR E OU CARCEREIRO.

A última noticia, dada de modo bem pálido pelo Jornal Agora São Paulo, é que temos milhares de professores sem qualificação dando aula. Não estão qualificados para a matéria que lecionam.

Parece tudo tão normal, para um povo tão manso, tão pacífico. Só vemos o povo se indignar quando é  para engrossar as hordes fascistas arregimentados por programas ditos policialescos.´Diante do quadro dantesco dos presos degolados em Pedrinhas Maranhão esse povo tão gentil e tolerante diantes dos descalabros da escola pública se revela.Acham pouco a degola e querem que o cadáver seja vilipendiado, que tenha sua cabeça colocada em corpos diferentes.
Povo sem escola fica assim fácil de manipular e sua indignação se vira contra as vítimas.
Na verdade o que ocorre na escola pública de São Paulo, é bem mais grave do que professor não qualificado.
Um professor que tem o dom e é educador, ele pode até ensinar bem a matéria onde ainda não se formou,  que o conteúdo é outro.
Pode ensinar o que já aprendeu .
O que acontece é professor de uma matéria que não tem nada a ver com seu histórico escolar e com o curso que concluiu ou está estudando.
Imagina um professor temporário, que é formado ou bacharel em letras e entra numa aula de matemática.
Isso acontece sim, e esses mesmos que pedem tortura medieval para presos pobres, não se apercebem que se temos muitos presos é porque temos poucas escolas. Esses mesmos com arroubos fascistas são cegos e até tem filhos com escola nessas condições.
Vem de longe. Já de Pitágoras, que afimava que se tivessemos educação não precisaríamos de prisão.
Temos na escola, carcereiros. Professores que entram na sala de aula apenas para os alunos ficaram quietinhos. Pobre do aluno que não ficar bonzinho. Tem toda uma estrutura acima dele  para amansa-lo. Ou amansa ou vai para a rua.
Os presos degolados cuja foto escandalizou a ONU e a OEA foram os alunos bonzinhos, formados para irem presos e serem degolados pelos mais fortes. Os pequenos criminosos.
Os degoladores são os alunos que se rebelam e são expulsos da escola.
De qualquer maneira ainda espero que se divulgue fatos graves como professor não qualificado dando aula, com a devida força que se divulga situação carcerária.Um é a ponta do outro.
Com uma escola de boa qualidade, o governador de São Paulo não precisa fazer propaganda alardeando que aumentou o número de prisões.
Quero ver um candidato alardeando que vai diminuir o número de presos porque vai melhorar a todo custo a escola pública.
Enquanto se fecham escolas , turnos e salas temos que ver mais penitenciárias sendo construídas e o povo caladinho.
Bem que Ulisses Guimarães falava: Bom e Besta começa sempre com a letra B.
Hora do povo entender que para ser Bom não tem que ser Besta
Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

3 Respostas para “PROFESSOR E OU CARCEREIRO.

  1. Marcelo Dias

    Cremilda, eu até concordo com Pitágoras que afirmava que se tivéssemos educação não teríamos prisão.
    A senhora esquece que educação não é sinônimo de escola!
    Educação, que Pitágoras se refere, não é só alfabetização e aritmética, isso inclui aquela que trazemos de casa como ética, moral, civilidade, urbanidade, isso não se ensina nas escolas!
    Você pode até discordar do meu “pensamento fascista”, mas eu acredito que a educação “que vem casa”, sabe, aquela, liberta muito mais as pessoas do que a educação “oficial” do Estado, e o pior, quem não recebe essa “educação caseira”, não se inclui na sociedade a ponto de NÃO QUERER FREQUENTAR UMA ESCOLA!

    Já pensou nisso, que muitos do mundo da criminalidade nem querem saber de escola?

    Simplesmente acham mais fácil ganhar a vida no mundo do crime escolhem essa vida, simplesmente!

    Além de outros que preferem muito mais levai uma digna e continuam pobre, enfim, eu acho que nada justifica a pessoa ser criminosa, muito menos a falta de educação e dinheiro!

    Se o governador do meu Estado fosse igual ao de São Paulo a ponto de criar mais cadeias prendendo e tirando de circulação os criminosos do estado daria muito mais sossego e garantia para que os cidadãos possam levar a sua vida com dignidade e garantia que seu trabalho não possa ser facilmente roubado por outros.

    É isso!

    • Cremilda Teixeira

      O Problema é que embora o governador de São Paulo se orgulhe de prender muito, a segurança está em sentido contrário. Quanto mai ele prende maçis vilencia temos em São aPaulo

    • Cremilda Teixeira

      Sim, claro, quem está na criminalidade não quer saber de escola Temos que oferecer escola de boa qualidade antes do cidadão se tornar criminoso