O juiz Evandro Pelarin acreditaria na aluna Xuxa ou no professor da Xuxa?

No programa Fantástico (TV Globo, 20-05-2012), a apresentadora de programas infantis Xuxa (Maria da Graça Meneghel) fez um depoimento emocionante, relatando que fora abusada sexualmente quando era criança e adolescente até os seus 13 anos de idade. Xuxa, hoje com 49 anos, disse que foi abusada por diversas pessoas, inclusive por um seu professor: “professores… um professor chegou pra mim e disse: não adianta você falar porque, entre a palavra de um aluno e de um professor, eles vão acreditar no professor e não no aluno”.

Estamos esperando a TV Globo e o Programa Fantástico entrevistar o doutor Evandro Pelarin, juiz da Infância e Juventude de Fernandópolis que tem um discurso e atitudes de culpabilização das crianças e de seus pais, até mesmo quando fica evidente que houve omissão ou abuso de agentes públicos… Atualmente, este juiz está em uma “cruzada” para caçar e prender crianças e adolescentes nas ruas de Fernandópolis e em todo o Brasil, numa autêntica volta ao passado da ditadura militar ou mesmo do período escravocrata da famigerada figura do capitão-de-mato… Será que este juiz acreditaria na aluna Xuxa?
Em um caso de conflito entre professor e aluno, o jornal carioca Extra destacou: “O juiz afirmou que, em suas decisões, a presunção é sempre em favor do professor, para manter a ordem dentro das escolas… (…) Pelarin diz que, dentro da sala de aula, quem manda é a professora e ponto final”. (leia aqui).
[No caso da escola municipal Melvin Jones, a aluna não aceitou ser punida pela falta de uniforme escolar. A aluna tentou se desvencilhara do ilegal constrangimento da professora que a mantinha presa na sala mesmo após o término na aula. Ao sair, a aluna empurrou a professora, a qual bateu a mão na lousa e fraturou um dedo. Sem ouvir a aluna e sem avaliar as circunstâncias, o juiz condenou a aluna a trabalhos forçados: varrer a própria escola por 6 meses].

Por último, também desafiamos O Programa Fantástico e a TV Globo a encontrar e entrevistar o professorzinho-santo-abnegado que está sendo acusado de abusar sexualmente da apresentadora Xuxa quando ela tinha menos de 14 anos…

Ou será que a TV Globo também acha que aluno é capeta e professor é sempre santo?

São Paulo, 25 de maio de 2012.
Mauro Alves da Silva
Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública
http://movimentocoep.ning.com/photo

Anúncios

12 Comentários

Arquivado em Alunofobia, Bullying, Impunidade, Professorzinho-santo, TV Globo

12 Respostas para “O juiz Evandro Pelarin acreditaria na aluna Xuxa ou no professor da Xuxa?

  1. Eduardo

    Xuxa, ora a Xuxa.
    Quantas gerações de baixinhos ela não “sexualizou”?
    E a exposição de suas “xuxetes”?
    E o filme (hoje caçado por ela em tudo que seja mídia)? O “Amor Estranho Amor”, em que naqueles tempos ela talvez reproduza aquilo que ela diz ter sofrido? Só que ela já era “altinha”, mas fez o filminho com o “baixinho”…
    Na verdade, ela tem certa crise moral….

    • Eduardo,
      O depoimento da Xuxa serve para cessar e prevenir abusos sexuasi contra crianças.
      Concordo que os progrmas da Xuxa sexualizava as crianças e havia muita propaganda consumista. Mas isto não diminui importância do seu depoimento.

  2. Anísio

    Muito esquisita esta história. Logo a Xuxa que fazia filmes pornográficos, incentivava o consumismo entre as crianças, ficava pelada no mato fumando maconha com o Exu?

    • Cremilda Teixeira

      Anisio, se a Xuxa não tivesse sido abusada por um professor, a reação de vocês teria sido outra ?

  3. ana

    dona Cremilda – Vai trabalhar dentro de uma sala de aula, com 44 semanais, no mínimo durante um ano, depois faça qualquer comentário.
    TB. va conhecer Fernanadopolis, o trabalho do Juiz, e comente. E muito fácil ironizar o que nao se conhece, principalmente as pessoas que vivem atras de ongs, recebendo sen ter que trabalhar.

  4. Bob Filho

    Besteira. A Xuxa só está interessada em alavancar a carreira que anda em baixa…

  5. Osmar José Paz Delmaschio

    Um dos erros mais graves dos professores é chamar atenção dos adolescentes com tom ameaçador e agressivo perto de seus colegas, tentando lhes passar lição de moral em público ou humilhá-lo. isso só gerará mais indisciplina ( O aluno vai querer mostrar para os seus colegas que ele é que vai se sair melhor ). Essa atitude é típica dos adolescentes, visto que os jovens tem um ideal revolucionário e todo educador deve saber isso e compreender. Quando tenho problemas com meus alunos na sala de aula ( Qual professor que não tem ?) eu os chamo para uma conversa em particular junto à direção e procuro com todo o respeito mostrar ao aluno qual foi o seu erro; algumas vezes os alunos apontam para erros que eu também cometi através de atitudes que os ofenderam sem mesmo eu ter a intenção. 90% dos casos terminam ali e as aulas voltam a ter tranquilidade e os alunos passam a mudar o seu comportamento. O que fez a professora ao trancar a aluna na sala de aula ? Issó só serviu para revoltar mais ainda a aluna e criar na adolescente um clima de ódio para com toda a classe de professores. Quem perdeu ? A aluna, todos os professores e acima de tudo o sistema educacional, cada vez mais desacreditado por essas atitudes. Quanto ao caso da Xuxa, isso ocorre mesmo e daí a importância desse blog e pessoas como a senhora que se preocupam em mostrar o outro lado das coisas. Parece até estranho eu estar criticando a atitude de uma colega, mas para todos os professores que lêem esse blog fica uma reflexão: Só conseguiremos realmente ter paz em nosso ambiente profissional quando os dois lados (alunos e professores) aprenderem a se respeitarem. Ser aquele professor arrogante e autoritário é colaborar ainda mais para o descrédito e desvalorização de nossa profissão. Alunos que não respeitam os professores também não podem ficar impunes dentro do limite da lei, mas essa punição deve ser feita como uma forma de trabalho pedagógico e motivacional em torno desses adolescentes, temos que encontrar um meio de resgatá-los e daí a importância (tantas vezes defendida por mim do psicólogo na escola). A palavra punição deve ser sinônimo de educação.
    Um abraço !