Arquivo do mês: março 2012

SÃO PAULO ACABA COM AULA DE REFORÇO QUE NÃO REFORÇAVA NADA…

Que a escola pública, especialmente a de São Paulo é uma festa podre, onde quem paga a conta nunca é convidado, todos sabemos. Escola pública é uma Colônia Feudal dividida em castas. Os professores bem recomendados tem vaga em melhores cargos dentro da escola mesmo.
Fica difícil sempre, é para o aluno em primeiro lugar, que escola não é lugar de aprendizado.
Difícil para o aluno e para o educador.
O Governador Geraldo Alckimim acaba com o professor de reforço. Òtimo. Ele não reforçava nada mesmo. Os maus tinham sempre a desculpa que aluno não queria, que eram descuidados, ingratos, vagabundos e que não queriam aprender. Para esses professores que odeiam alunos e acham que estão alí fazendo um grande favor, melhor mesmo tirar essas aulas, eles recebiam e não trabalhavam.
Para o professor comprometido era ruim, ver seu colega querer retirar seu aluno da sala para assistir aula de reforço, era fazer um remendo com pano podre.
O aluno perde uma boa aula, para ter reforço de outra ? Enxugava gelo ?
Muitos professores impediam o aluno de sair, outro deixava, todos cientes do absurdo dessas aulas de recuperação.
Agora é esperar a grita.
Quem estava só se beneficiando com essas aulas de reforço de mentirinha, vai chorar a hora que a teta lhes sair da boca.
Quero só ver se o Governador vai assumir que está acabando com aulas que na verdade não davam resultado nenhum.
Cortar gastos pode começar por aí, mas tem muito mais é só ele procurar que acha…
Vamos ver agora o que vem…

Comentários desativados em SÃO PAULO ACABA COM AULA DE REFORÇO QUE NÃO REFORÇAVA NADA…

Arquivado em Uncategorized

PARA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DE FLORES.

Tenho sempre que lembrar que apesar dos maus professores, dos tranqueiras, dos apaniguados das autoridades, das donas da escola, ainda contamos com gente séria na Educação de São Paulo.
A minoria que resiste e espera o Governador de São Paulo acordar.
Só para dar uma aliviada, que não dá para escrever o nome de todos. São poucos mas não são tão poucos assim. Graças a Deus, ainda não dá para contar nos dedos da mão os bons e sobrar dedo.
Só para ilustrar e não dizer que não falei dos bons funcionários da Secretaria de Educação.
Por causa deles a escola pública não ruiu de vez.
José Benedito de Oliveira ex Coordenador Geral da Cogesp.
Walkyria Cattani Ivanaskas- ex Dirigente da Centro Oeste.
Antonia Eugênia Camelo- ex Dirigente da Sul 3
Mathilde Thiré. ex. Diretora da Escola Lucas Rosquel Rasquinho.
Professores então , a gente conhece um montão
Sueli Simões, Fátima e outras centenas delas.
Graças a Deus, nem tudo está perdido. Volto contando os absurdos da escola pública de São Paulo.
Hoje meus cumprimentos e agradecimento aos que não se vergam.
A professora ideal para mim, meu ídolo é a Professora Maria Gloria dos Reis autora do livro ESCOLA INSTITUIÇÃO DE TORTURA.
Felizmente o joio ainda não dominou o trigo, falta separar um do outro para a lavoura dar bons resultados.

Comentários desativados em PARA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DE FLORES.

Arquivado em Uncategorized

EX-COORDENADOR GERAL DA COGSP, JOSÉ BENEDITO DE OLIVEIRA MOSTRA COMO SE FAZ.

A E.E.Aroldo de Azevedo não vai mais cobrar uniforme, de acordo com um resposta simples de poucas linhas.
A garantia vem do ex-coordenador da Cogesp, que sempre atendeu e coibiu os abusos por nós denunciados,José Benedito de Oliveira.
Tenho recebido cartas timbradas com um português irretocável e muito elegantes do Palácio do Governo de São Paulo.Parece que é só perfumaria, uma vez que denúncias são enviadas para a SEE e se não cair na mão do José Benedito, cai no esquecimento ou vem com um retorno que é um verdadeiro deboche.
Vamos continuar mandando para o Palácio do Governo, mas torcendo para que o Governador veja na conduta de um funcionário probo e capaz como o José Benedito um exemplo bastante positivo.
Ele resolve no varejo, os casos que chegam até ele .São violências no atacado.
A Giulia do Educaforum sempre dizia que os pais e alunos ficariam órfãos sem o José Benedito.
Não é um super homem, nem faz milagre, nem tem a intenção de fritar professores e diretores, apenas quer fazer o certo.
As injustiças a desordem e a corrupção da SEE de São Paulo, saltam as vistas. Temos a impressão que não tem mais jeito, só dar oportunidade e poder para quem sabe exercer.
Garanto que esse funcionário conseguiria arregimentar um monte igual a ele para serem seus assessores e a escola e o Estado de São Paulo iam levar vantagem, na esteira o prestígio do governador.
Bora lá, Governador, vamos olhar isso com carinho ?
Imagina uma Via Rápida, com funcionários comprometidos com a educação ? Uma Via Rápida para punir os responsáveis, sem lhes tirar o amplo direito de defesa, mas rápido, que justiça que tarda é justiça que tarda, principalmente em relação a criança e adolescente.
O pessoal ou se e botava as barbas de molho.
Todos ganhariam com isso.
Simples assim.

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

A Diretora da E.E.Afiz Gebara estaria comemorando a vitória antes do tempo.

Não há mal que dure para sempre. As investigações preliminares adiantadas, feitas a toque de caixa na Diretoria Sul 2, estariam deixando a diretora muito eufórica, a pondo de ficar soltando piadinhas quando passam professores por ela. Professores que ela imagina que seriam os autores das denúncias. A cada dia ela “conquista” mais gente pela moralização da escola.
Sei não, do jeito que está, periga sobrar até para a Sul 2…

9 Comentários

Arquivado em Uncategorized

ESCOLA QUE NÃO RESPEITA A LEI, NÃO FORMA CIDADÃO.

A Escola Estadual Aroldo de Azevedo é apenas mais uma escola onde se vende uniforme a 110,00 Cento e Dez Reais. Proibido por lei.
A Secretaria Estadual de Educação tem divulgado pela grande imprensa que o uniforme pode ser adotado pelo Regimento Interno da Escola mas que tem que garantir que quem não pode comprar a Escola forneça.
Não, senhores. Aí está o grande equívoco.Porque não dizer o GRANDE CRIME, a maior violação de direito do aluno.
A Escola não pode elaborar um Regimento Interno e nem o Conselho de Pais e Mestres pode fazer uma exigência ilegal. Tipo, é contra a lei, é Inconstitucional mas se o Regimento Interno quiser pode.
Constituição Federal diz que é direito do aluno. O povo paga esse serviço a vida toda. Nossos impostos são os mais altos do mundo. Merecemos uma escola de boa qualidade, pagamos por isso. Chega de Escola pública ser oferecida como uma esmola. Algo de graça que o que vier está bom.
Quando a Secretaria de Educação de São Paulo, o estado mais importante da Federação apoia e justifica a obrigatoriedade do uso de uniforme, ela mesma está deixando claro que
NÃO É DIREITO E É ILEGAL, MAS SE A ESCOLA QUISER ELA PODE.
Que tipo de cidadão estará a escola formando se ela mesma tem o aval da SEE para violar a lei ?
Exigir que aluno se vista de maneira sóbria é obrigação da Escola. Ensinar que cada ambiente pede um tipo de vestimenta também. Exigir e até vender as vestimentas na escola é outra coisa.
A desculpa que uniforme é segurança é outra piada. A maior violência são aulas vagas, maus exemplos e desrespeito. As maiores violências e os piores exemplos dentro da escola são dados por quem recebe para ensinar.
Os maus exemplos, a falta de respeito e as aulas medíocres o aluno tem sempre, independente de estar uniformizado.

Comentários desativados em ESCOLA QUE NÃO RESPEITA A LEI, NÃO FORMA CIDADÃO.

Arquivado em Uncategorized

AINDA O BONÉ, COM A EXPLICAÇÃO PIOR QUE A PROIBIÇÃO.

Depois de ter postado que proibir o uso de boné é arrogância e rabugice de velhas professoras velhas, vem a explicação por escrito.
A escola proíbe o uso de boné porque ele é usado como meio de comunicação entre alunos e traficantes de droga e criminosos. Se a aba está para o lado, quer dizer uma coisa, se está para trás quer dizer outra.
Isso mesmo, para justificar a proibição idiota, autoritária, resolvem criminalizar quem usa boné.
No fim dessa justificativa, mostram o quanto o aluno é desrespeitado e tido na escola como um inimigo em potencial. Um criminoso comum.
Outra explicação: dentro de ambiente fechado é deselegante a cabeça coberta.Então tá. Uma escola falida, corrupta, violenta, injusta e brutal se preocupa com a elegância ? Deselegante é escola, principalmente de São Paulo, que recebe verba suficiente para uma escola de primeiro mundo, ter uma escola miserável em todos os sentidos.Deselegante, imoral e inaceitável. Não o boné. O inocente boné que o aluno gosta,não pode usar porque ele não pode se sentir bem alí.
Outra: o professor quer olhar no olho do aluno e o boné impede. Ah…tá. Professor não sabe nem o nome de seus alunos está preocupada com a cor dos olhos dele ?
Se não bastasse vem outra: boné é pouco higiênico. Abafa o cabelo que está sempre sujo, transpira e favorece a infestaçao de piolho. Esquecem que infestação de piolho se dá mais em menina e que não usam boné.
Nessa proibição está toda o preconceito e a falta de respeito ao aluno.
Aluno gosta de boné, então não pode usar.
Escola não é lugar para aluno se sentir bem, nem para ser respeitado.
Escola é uma via de mão única, onde o respeito é sempre invocado e nunca usado.
A violência crescendo e invadindo a escola, antes um espaço onde as mães deixavam seus filhos e ficavam seguras.
Agora não querem se responsabilizar nem pelo aprendizado do aluno e nem pela sua segurança quando alegam que não são babás de alunos.
De vem em quando a gente via um educador jovem usando boné, era uma maneira de mostrar que o boné não interfere em nada no aprendizado e no ensino. Agora nem isso vemos mais.
Os educadores jovens já estão enlatadinhos e inseridos no contexto, para não afrontar as estrutura velha, fossilizada e cheirando a bolor da escola pública.
Ou o professor entra no esquema ou cai fora. Quase sempre ele além de gostar de ensinar é seu meio de ganhar o pão e se sujeita.
Professor já entra na escola pública com seis meses de validade. Em seis meses ele ou está igualzinho aos velhos ou cai fora.
E ainda volto com esse assunto, que não acaba aí.

6 Comentários

Arquivado em Uncategorized

JEITO TEM…

Um modelo que tem muito que melhorar, mas a idéia que um colega para fiscalizar o outro tem que ser protegido é usado na Corregedoria da Polícia Militar. Um policial lotado na Corregedoria aposenta alí, não volta para o antigo comando. Isso não quer dizer que o policial acusado não seja de alguma forma protegido, mas se o policial da corregedoria quiser fazer um bom serviço ele pode.
Na escola pública é o contrario. Uma Diretora de Escola acusada dos piores delitos, é investigada por uma equipe de Supervisores, a famigerada AVERIGUAÇÃO PRELIMINAR. Se a Diretora tiver um bom acesso na cúpula do governo, tiver as costas quentes e protegida por autoridade, ela pode ir de Diretora de Escola, a Dirigente Regional de Ensino direto. Então será chefe daquelas supervisoras que a investigara.
Pelo sim, pelo não, melhor salvar a pele.
Como exigir que um grupo de supervisores façam uma Averiguação Preliminar sem medo e de modo justo, se a cabeça dela amanhã pode estar a premio ? Seu cargo correndo perigo ?
Se fizerem, se não tiverem outro jeito, o processo demora muitos anos tramitando de mesa em mesa, de gabinete em gabinete. Quando sai a punição da mais ridícula possível e a gente tira a conclusão que é a tal justiça que tarda, então é justiça que falha.

Comentários desativados em JEITO TEM…

Arquivado em Uncategorized