EM LONDRINA, PAI HUMILHA FILHO PELO JORNAL PARA MOSTRAR QUE É PAI PRESENTE E AGRADAR A PROFESSORA.

Só ler nos comentários do JORNAL FOLHA.COM, por exemplo, no caderno Saber, como se comporta a maioria dos professores.
Odeiam os alunos, ofendem e insultam os pais.
Quando é divulgado o caso do aluno que atirou na professora e se matou, os professores acharam que morte era pouco para o aluno. A professora está viva, mas pedem o fogo do inferno para o aluno, tal o ódio perverso que tem pessoas que exercem uma profissão para a qual não estão preparadas e nem tem vocação.
Sabemos que os professores incitam os pais a violência contra seus filhos. Responsabilizam os pais pelo fracasso da escola.
Os pais para mostrarem que são presentes castigam e humilham seus filhos de forma bastante cruel.
Nem por um momento esses pais “justiceiros” ouvem seus filhos e perguntam se eles tem razão.
Temos sempre recomendado aos pais que fiquem do lado dos seus filhos mesmo quando eles erram . Não do lado do erro, mas do lado do filho para que aprenda que errar é humano e errando também se aprende.
Esse pai de Londrina obrigou o filho a se desculpar pelo Jornal de Londrina.
Pela legislação, tando o pai quanto o jornal feriram o ECA, que proibe que se exponha uma criança ou adolescente em situação constrangedora e vexatória.
Nesse caso não vai acontecer nada, o aluno levará esse trauma porque afinal é aluno de escola pública e esse não é ninguém neste pais.
Assim sem poder contar nem com os pais e nem com a escola, fica dificil contar com o futuro neste pais e nem com a construção de uma Cultura de Paz, justa e ordeira.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

2 Respostas para “EM LONDRINA, PAI HUMILHA FILHO PELO JORNAL PARA MOSTRAR QUE É PAI PRESENTE E AGRADAR A PROFESSORA.

  1. Escola de Londrina vai virar colégio militar
    This entry was posted by PortalCaiuá quarta-feira, 29 junho, 2011
    Read the rest of this entry »

    Anúncio foi feito conjuntamente pelo governador Beto Richa e pelo deputado Alex Canziani, um dos articuladores da proposta. Escola será aberta para a comunidade em geral.

    Canziani fala do Colégio Militar. Richa acompanha ao fundo

    O Colégio Estadual Barão do Rio Branco, de Londrina, será transformado em um colégio militar. O anúncio foi feito pelo governador Beto Richa (PSDB) e pelo deputado federal Alex Canziani (PTB), durante solenidade de inauguração de um bloco educacional na Universidade Tecnológica Federal de Londrina.

    A mudança e os procedimentos na atual escola serão graduais, mas o ano letivo no novo formato já começa em 2012. Hoje, o Estado tem apenas um colégio do gênero, que fica em Curitiba. O de Londrina será oficializado como o “2º Colégio Militar do Paraná”, o primeiro do interior, e atuará nos ciclos do Ensino Fundamental II e Médio.

    As séries regulares no atual sistema serão extintas à medida que os alunos concluírem o ensino médio, o que deve acontecer até 2014. Hoje o Rio Branco tem 900 alunos que frequentam o Fundamental II (da 5ª à 8ª série) e o Médio. Ao contrário do que muita gente pensa, o futuro colégio militar não será exclusivo para a formação de policiais militares. Os interessados, entretanto, deverão passar por um teste seletivo. Para o primeiro ano letivo, em 2012, os testes serão realizados no segundo semestre deste ano.

    “Nos empenhamos muito pela transformação do Colégio Rio Branco em Colégio Militar porque acreditamos que isso vai trazer um grande ganho de qualidade para nossa instituição, que é muito conceituada em Londrina e tem ótima avaliação no Ideb”, disse a diretora Marilena Dias de Matos.

    O deputado federal Alex Canziani, que participou diretamente na proposta de instalação da unidade em Londrina, lembra que o Colégio Militar de Curitiba, por exemplo, tem o segundo melhor Ideb do Estado, com nota 6,3 obtida na última avaliação das escolas públicas, em 2009. “O primeiro lugar é do Colégio Militar do Exército [federal], com 6,9”, lembra Canziani, que preside a Frente Parlamentar da Educação do Congresso Nacional. Canziani disse que agora ele pretende estudar a instalação de colégios militares em outras localidades do Estado, tomando por base o de Londrina. O Barão do Rio Branco vai virar escola modelo para este tipo de instituição.

    APOIO – A transformação do colégio londrinense teve o pleno apoio da comunidade da região onde está instalada, que foi consultada em audiência pública, e também tem o endosso da Secretaria da Segurança. A escola já realizou reunião com os pais dos alunos, que aprovaram a mudança.

  2. Percival

    É provavelmente esse pai não acompanha a vida escolar do filho, talvez não saiba que ele (o filho) possa estar sofrendo perseguições e ou maus tratos na escola em que estuda. Talvez ele não faz ideia que o filho o respeita muito e desconsidera a professora porque ela não tem capacidade de se fazer respeitar, porque para se postar algo na internet como foi feito, com certeza alguma rincha há.
    E…é inconcebível, que uma pessoa possa expor tanto alguém somente para mostrar ao mundo que :
    – educa
    – manda
    – que é pai
    – que dá exemplos.
    pra mim esse pai, quis aparecer, os 15 minutos de fama, porque dar uma lição de moral dessa magnitude é qualquer coisa de ignorante, não consigo imaginar isso, estou pasmo, onde chegamos, aos nossos filhos conversamos dentro do quarto, na sala acompanhado dos interessados pai, mãe, filho. Talvez ele queira falar sobre sexo com seu filho via jornal . me poupe !