Arquivo do dia: 26/12/2010

A FANTÁSTICA COVARDIA DA GLOBO, MOSTRANDO A PROFESSORA ARROGANTE REPROVANDO O ALUNO LÍDER.

A fantastica turma 0171

O último programa do ano, a TV Globo mostrou a FANTÁSTICA covardia da escola pública, que reprova e humilha o aluno líder. Reprovou muitos alunos… Mas, o reprovar do lider foi de uma covardia gritante.
O esperado, nenhuma surpresa.
O cotidiano na escola pública, com as bênçãos e a aprovação da imprensa PEDÓFOBA.
Em São Paulo também nunca se reprovou tanto como este ano que passou.
A escola onde o Fantástico mostra a professora arrogante, que chama alunos de praguinhas, e diz que quem manda na escola é ela, e usa o velho chavão bem ditador: MANDA QUEM PODE E OBEDECE QUEM TEM JUÍZO.
A professora, que é apresentada como a boazinha, não permite nem que o aluno sente onde escolhe.
Ela, professora, até leu um discurso onde afirma que “na escola é lugar de direito… mas, PRINCIPALMENTE de deveres”.
Deveres e direitos deveriam ser iguais. Mas na escola pública não é.
Reprovar e humilhar aluno em rede nacional, um líder na oitava série, nos faz sentir vergonha do Rio de Janeiro e do Brasil.
Só a Rede Globo acha bonito ser feio.
Acha que mostrar uma escola onde se reprova, e que se esquece que o professor merece a nota que dá, é uma vergonha.
Que o líder seria reprovado, era óbvio. Desde os primeiros programas vimos a professora arrogante e convencida mostrando tudo que não queremos de uma professora.
Com certeza, nessa escola que a Rede Globo mostrou, não tem nenhuma educadora.
Uma educadora é serena e não tem o prazer que a professora Mirza demonstrou ao reprovar o aluno.
Educador sabe que a sua função é ensinar.
Na sala onde não tinha nem vinte alunos, ela ainda conseguiu reprovar o lider.
Cai por terra a desculpa que as salas muito lotadas dificultam o ensino.
No discurso de despedida, que a professora mostrou para o programa do Fanstástico, ela chamou os alunos de “praguinhas”… imagina no seu cotidiano, longe das câmeras…
O mais gritante foi a sua falta de conhecimento da lei.
Com professores assim, e com esse comportamento da imprensa incensando os maus professores, nunca teremos uma cultura de paz e nem formaremos cidadãos combativos e corajosos.
O Programa Fantástico mostrou tudo que não precisamos numa escola pública… e também mostrou uma professora absolutamente incapaz e que está longe de ser chamada de educadora.
O Programa Fantástico mostrou uma escola excludente, que reprova o seu líder, humilha os alunos e os desconsidera.
Para completar, o Programa Fantástico mostra que o Brasil está nos últimos lugares na qualidade do ensino.
Considerando que pagamos um dos maiores impostos do mundo, temos alunos inteligentes esforçados, disciplinados e líderes, falta só colocar o professor no lugar dele.
Com todo respeito que o professor merece, mas a escola precisa vir a ser do aluno.
O aluno precisa ser a prioridade.
Essa professora é ditadora e convencida, que reprova o melhor futuro homem da sua sala, tida como a heroína pelo progrma Fantástico…
Nem podemos dizer que o programa de hoje foi FANTÁSTICO.
Foi o cotidiando da nossa imprensa, que odeia aluno de escola pública e o responsabiiza pelo fracasso da escola.
Enquanto a imprensa não sarar de sua ALUNOFOBIA, não teremos uma escola de boa qualidade e nem uma cultura de paz.

29 Comentários

Arquivado em Alunofobia, Impunidade, Professorinha-santa, TV Globo

A TV Globo, a professorinha-santa e a covarde reprovação das “praguinhas”.

A fantástica turma 0171

Mais uma vez a Rede Globo de Televisão utilizou-se de uma concessão pública para desmoralizar os alunos das escolas públicas.
No Programa de hoje, no quadro Turma 1901, a equipe do Programa Fantástico fez mais uma propaganda do covarde sistema de reprovação escolar, no qual as professorinhas-santas jogam a culpa do seu fracasso escolar nas costas dos alunos.

Mais uma vez a Rede Globo mostrou como é a máquina de moer lideranças nas escolas públicas: os dois alunos “dourados” foram punidos… um ficou para “segunda época”… o outro foi “reprovado direto”…

O mais patético do programa Fantástico foi o discurso emocionado da professorinha-santa, que começou chamando seus alunos de “praguinhas”…. [seria uma forma de cativar seus alunos???].

O pior de tudo é a “ex-moça-do-tempo” ainda dizer ao aluno reprovado para que ele “lembrasse de nós”, da equipe do programa Fantástico, no ano que vem…

– Nenhuma palavra nem imagem sobre as obrigatórias aulas de recuperação que deveriam ser oferecidas aos alunos ao longo do ano…
– Nenhuma palavra nem imagem sobre os alunos frequentando a biblioteca da escola…
– Nenhuma palavra nem imagem sobre outras formas de avaliação dos alunos: não teve “apresentação de trabalhos”, não teve “prova oral”, não teve uma real avaliação de “comunicação e expressão”…

Quanto custa um “aluno de escola pública”?
Para provar que ignorância não tem limites, o jornalista Zeca Camargo ainda divulgou os números da covarde reprovação escolar brasileira: 13% dos alunos são reprovados no Brasil…
Ao mostrar os resultado do PISA (Sistema de Avaliação Internacional dos alunos de 15 anos), o jornalista Zeca Camargo mostrou que o Brasil ficou em 53º lugar, entre 65 países…
Mas por que o programa Fantástico não mostrou o número de horas-aulas em outros países?
Por que programa Fantástico não mostrou o quanto é gasto com os alunos das escolas públicas (“custo-aluno”) em outros países?
Por que o programa Fantástico não dz o quanto gastou pra levar a aluna Camila até o Chile? Entre passagens aéreas, roupas, alimentação e hospedagem, não será surpresa se a TV Globo tiver gastado mais do que os R$ 905,00 gastos com a aluna ao longo de todo o ano escolar. (Dados do INEP – veja aqui).

Quem financia a covardia do programa Fantástico?
O desprezo pelos pobres alunos pobres da pobre escola pública sempre foi marca registrada da TV Globo, que sempre apoiava a sua discriminação contra os pobres através do patrocínio de empresas que vendiam produtos para as classes econômicas mais abastadas: carros, imóveis, viagens ao exterior, perfumes caros…
Mas, desgraçadamente, agora temos também empresas que atuam fortemente no comércio popular, junto às classes “C, D e E”: Banco Itaú, Casas Bahia, Lojas Marisa, Magazine Luiza, Banco do Brasil e Casas Pernambucanas… Será que estas grandes empresas apóiam conscientemente a discriminação e o desprezo da TV Globo e do Programa Fantástico contra os alunos das escolas públicas, que são pobres em sua grande maioria?

Leia mais aqui:
Reprovação Escolar é Covardia (Movimento COEP, 22/07/2002);
Reprovação Escolar é Covardia – versão 2009 (Movimento COEP, 01/01/2010)
Brasil fica em 53º lugar em prova internacional que avalia capacidade de leitura (Folha Online, 07/12/2010): “De acordo com o relatório divulgado pela OCDE, o Brasil teve “um grande ganho” na nota de leitura nos últimos anos. Apesar disso, o país ainda fica atrás de Chile (44º), Uruguai (47º), Trinidad e Tobago (51º) e Colômbia (52º). Por outro lado, o Brasil conseguiu ficar à frente da Argentina (58º) e do Peru (63º)” .

São Paulo, 26/12/2010.
Mauro Alves da Silva
COEP – Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública
http://movimentocoep.ning.com/

3 Comentários

Arquivado em Alunofobia, Impunidade, Prêmio IgNóbil de Educação, Professorinha-santa, TV Globo