Arquivo do dia: 14/12/2010

OS PACIFICADORES ULISSES GUIMARÃES E JOSÉ BENEDITO DE OLIVEIRA. A COGESP E A BANDA PODRE

Pacificar é encontrar o ponto em comum de dois grupos. Pacificar é minimizar os conflitos de grupos cujos pontos divergentes podem ser em menor força do que os pontos em comum.
Ulisses Guimarães foi considerado o Grande Pacificador da politica brasileira. Ele sempre dizia que a única semelhança entre ser bom e ser besta, era apenas a primeira letra das duas palavras.
Um sábio mesmo. Tem gente que pensa que pacificar é deixar tudo correr frouxo e ficar do lado do mais forte empurrando com a barriga.
Exatamente o que sentimos nos conflitos com as boas diretoras, os bons professores e a Banda Podre. Principalmente nas escolas da Diretoria Sul 3, de São Paulo
Tirar o Dirigente da Diretoria Sul 3, parece a primeira vista a solução. Não, não é só isso.
Nessa diretoria existe uma panelinha, que se instalou alí faz tempo. Pode vir o melhor dirigente possivel que se não fizer uma limpa lá dentro não adianta nada.
Que tem gente séria e bem intencionada na Diretoria de Ensino Sul 3, também não dá para negar. Que tem supervisoras fazendo o jogo da Banda Podre é óbvio, tão óbvio que ulula. Essas figuras fazem as Investigações Preliminares. Seria engraçado, se não fosse tão trágico.
Temos na COGESP, o Coordenador Geral,se diz um pacificador mas parece estar engessado.Sabe que nesses casos da Diretoria Sul 3 ele não pode pacificar.
Esse Coordenador, veio de outra pasta. Não está com a boca torta pelo cachimbo, passa a boa impressão de alguém que quer fazer tudo certo.
O problema é que esse Coordenador não pode tomar nenhuma decisão por sí, tem que ir na SEE .
Com grande capacidade, mas sem competência para tomar decisão, ele parece empurrar com a barriga os problemas da Sul 3.
Até quando ????
O Governador eleito de São Paulo, disse na imprensa que em time que está ganhando não se mexe.
Na Pasta da Educação, todos estamos perdendo, hora de mexer.
Mexer Geral…

8 Comentários

Arquivado em Uncategorized

E.E.JOAQUIM ALVAREZ CRUZ, OUTRA ESCOLA QUE APEOESP COLOCA A BOA DIRETORA PARA CORRER.

Escola pública e um ensino de boa qualidade, deveria ser de interesse de todos, que partidarizar a luta é apequenar a causa.
Temos políticos bons e ruins tanto no PT quanto no PSDB, temos todo seguimento partidário dentro da APEOESP. O sindicato dos professores, famoso e o mais poderos da América Latina, manda normalmente na Secretaria de Educação de São Paulo.
Seria bom que esse sindicato defendesse os direitos dos bons profissionais do ensino. Nos redutos petistas como a zona Sul de São Paulo, eles colocam as boas diretoras para correr.
Diretora então deixa a escola na mão da panelinha da escola e aparece uma vez ou outra.
Diretora que não tem esse perfil, que quer trabalhar, quer moralizar a escola e é uma profissional séria é expulsa, se não sai por bem, sai na marra.
Na região da Diretoria Sul 3, deitam e rolam e nos últimos meses sabemos que todas as escolas dali estão na mesma situação. Escolas estão orquestradas pela APEOESP, que aparece, coloca os pais contra a direção, incitam a violência e a população já descontente com a escola, se voltam contra a diretora. A APEOESP tem dinheiro para panfletar na porta da escola e fazer o jogo do quanto pior, melhor para o PT.
Volto a insistir que não são todos petistas que agem assim, mas na zona sul de São Paulo, é exatamente assim.
A Diretora da E.E.Joaquim Alvarez Cruz, foi ameaçada, teve que se trancar na sua sala, enquanto a Banda Podre da Escola, a ameaçava.
Num dado momento a diretora saiu correndo e vinham pessoas atrás dela com pedaços de pau.
A Apeoesp com carro de som na frente da escola panfletando e incitando a revolta.
Essa diretora preferiu ir para uma escola dar aula, mas não se vergou.
A diretora só tem duas opções, ou se verga e deixa a escola correr frouxa, ou sai fora.
Essa preferiu sair, mas de cabeça erguida.
Não teve nenhum apoio da Secretaria de Educação, e a Diretoria Sul 3, acomoda a Apeoesp e até recebe na Direitoria, então tão a vontade entram nas escolas dessa região.
O ponto em comum: escolas do reduto histórico do PT.
O secretário Paulo Renato de Souza, colocou o Coordenador da Cogesp para resolver.
Excelente pacificador, mas no momento precisamos de alguém com coragem e autoridade para cortar a banda podre e jogar fora, ou ela vai apodrecer o que resta da escola pública.
Ou dar autoridade para o Sr.José Benedito fazer o que é correto, acho que ele é capaz, mas precisa ter autoridade para isso, parece que capacidade ele tem também, falta a competência.
Nâo dá para pacificar a banda podre e a Apeoesp na Zona Sul de São Paulo.
Tem que tomar uma atitude.

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Senador Paulo Paim promovendo a alunofobia.


O senador Paulo Paim (Rio Grande do Sul) está colaborando com aqueles que promovem o preconceito e a discriminação contra os alunos das escolas públicas. O projeto do senador Paulo Paim (Projeto de lei PLS 191/2009) é discriminatório e tenta consagrar todo o preconceito que existe contra nossas crianças que estudam nas escolas públicas, crianças pobres em sua grande maioria.
O PLS 191/2009 só trata da violência sofrida pelo professor… mas nem se preocupa com a violência diária a que são submetidas nossas crianças nas escolas públicas…

Quem tem medo do Estatuto da Criança e do Adolescente?
O mau corporativismo que reina nas escolas públicas sempre ataca o Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA (lei federal 8069/1990), acusando-o de ser permissivo e muito liberal com nossas crianças… Mas os maus professores querem, na verdade, acabar com as garantias constitucionais das nossas crianças; querem acabar com o “amplo direito de defesa”; querem acabar com o “direito ao contraditório” e também com o “direito de contestar critérios avaliativos”…
Um professorado formado em um regime autoritário não aceita nenhuma avaliação, nenhuma crítica e nenhuma contestação sobre as suas incapacidades e sobre os seus métodos fracassados.
Quem garante a prioridade à criança e ao adolescente é a Constituição Federal em seu artigo 227.
O direito à educação e à escolarização já estavam consagrados na Declaração Universal dos Direitos Humanos desde 1948.
O Brasil também assinou a Convenção sobre os Direitos da Criança (1989).
Sendo assim, não será um projeto autoritário, com viés policialesco, que terá a ignominia de acabar com os direitos das crianças simplesmente para atender a um capricho do mau corporativismo que reina nas escolas públicas brasileiras.

A ignorância do senador Paulo Paim.
Tratar a educação como caso de polícia é coisa de ignorante.
Além de querer revogar a Convenção sobre os Direitos da Criança, o senador Paulo Paim ainda comete várias aberrações jurídicas:
1) Após a promulgação do Estatuto da Criança e do Adolescente, o juiz não tem “competência” (Poder) para punir as crianças (menores de 12 anos);
2) O PLS 191/2009 ainda comete o absurdo de conceder ao juiz o poder de interferir na proposta pedagógica e disciplinar na escola, podendo inclusive decidir sobre a turma ou classe em que o aluno deverá frequentar aulas!!!
3) Cria implicitamente um “juizado de exceção”, o qual terá poderes de, julgando uma única causa e um único feito, decidir sobre o aspecto penal/criminal (penas restritivas de direitos) e também sobre o aspecto cível (pagamento de multas e indenização à vítima). Além disso, este novo “verdugo” terá poderes para decidir o destino dos “maiores”, dos “di-menor” e também sobre suas famílias… e também sobre a escola e o poder público…

A Covardia do Senado Federal.
Em 2008, o senador Cristovam Buarque declarou que havia conseguido número suficiente de assinaturas para instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito sobre a Educação…
Por que não foi instalada a CPI da Educação?
Quem é que ficou com medo de investigar o assombroso número de “alunos fantasmas” (só existem nos registros, nas matrículas, para as escolas receberem gordas verbas)?
Quem ficou com medo de investigar o grande número de “aulas vagas” (sonegam milhões de horas-aulas dos alunos brasileiros)?
Quem ficou com medo de investigar os milhões de professores que assinam o ponto “a lápis” (ou assinam o ponto e “dão no pé”)?
Quem ficou com medo de investigar os milhares de professores que estão em “desvios de função” (em gabinetes ou assessorando parlamentares)?
Quem é que ficou com medo de investigar o massacre diário a que são submetidas nossas crianças nas escolas públicas brasileiras?
Quem é que ficou com medo de investigar a completa impunidade que reina nas escolas públicas, onde um professor pode xingar, bater, abusar sexualmente e até mesmo matar uma criança que raramente será punido?

Combatendo o preconceito e o racismo.
O senador Paulo Paim é conhecido pela sua luta contra o preconceito e o racismo. Por isso mesmo, seria interessante que ele levasse em conta, nos seus projetos, as pesquisas que denunciam as escolas como promotoras de preconceitos e de racismo. Tem vários estudos e pesquisas indicando que até mesmo o bullying (violência entre alunos) acontece principalmente dentro da sala de aula, sob o olhar complacente se professores(as).
Sugerimos ao nobre senador Paulo Paim que comece a sua investigação pela Escola Estadual Bahia, na qual uma professora xinga um aluno, obriga-o a pintar várias salas, e faz com que estes abusos sejam filmados e colocados no youtube.com… Se o nobre senador ainda não se convencer dos abusos que são praticados contra nossas crianças, ainda sugerimos os seguintes vídeos:
14/12/2010 – Prêmio IgNóbil de Direitos Humanos na Educação 2010. (Resumido).
12/10/2010 – Prêmio IgNóbil de Educação 2010.
12/07/2010 – RBS, TV GLOBO e o desrespeito às crianças.
05/06/2010 – TV Record e os 3 ratinhos cegos.
20/05/2010 – TV GLOBO quer castigos mais severos?

(*) Alunofobia é a aversão, o medo, o preconceito, a discriminação, o ódio contra os alunos… um ódio especial contra os alunos das escolas públicas, que são pobres em sua grande maioria…

Comentários desativados em Senador Paulo Paim promovendo a alunofobia.

Arquivado em Bullying, Impunidade, Prêmio IgNóbil de Educação, Professorinha-santa