Arquivo do dia: 07/12/2010

PROFISSÃO REPÓRTER DA REDE GLOBO VEM, DE NOVO, FEROZ CONTRA O ALUNO DE ESCOLA PÚBLICA.


Hoje a TV Globo vai continuar com o massacre contra alunos. Vai continuar na sua saga contra aluno de escola pública. Esse ódio insano contra aluno de escola pública, endeusando professores e demonizando aluno é uma prática da imprensa. Muito forte nas grandes emissoras: TV Globo, TV Record e TV Bandeirantes. Nessa ordem, a TV Globo é a primeirona… estas emissoras de TV praticam escancaradamente a pedofobia e o pedagocídio.
Hoje o Caco Barcelos promete, no Programa Profissão Repórter, exercer a profissão mentira… e, com certeza, vai torcer os fatos e apresentar os professores-incapazes como se fossem “os coitadinhos”….
Professor é, sim, a profissão importante e difícil… Mas, uma profissão onde não se exige vocação e sem nunca serem avaliados, até o professor que tem vocação não trabalha bem…
Na escola pública, o professor que quer trabalhar é tido como trouxa.

A violência contra aluno é a constante.
Aluno que reagir vira réu no ato, mesmo que seja evidente que o aluno foi agredido, humilhado e levado a reagir. A imprensa nem se preocupa em disfarçar sua preferência criminosa pelo professor agressor….
O último caso distorcido ples emissora de televisão foi o de Constantina, no estado de Rio Grande do sul, onde o professor prendeu alunos na sala de aula, para que a policia viesse e descobrisse “carinhosamente” quem teria jogado uma bombinha no corredor… nenhuma palavra da imprensa sobre o constrangimento ilegal e nem sobre a ilegal prática de cárcere privado…
O que aconteceria ali, na sala fechada, com um monte de policiais, a gente imagina… mas o aluno nunca poderia denunciar e nem teria crédito…
Neste caso de “cárcere privado”, um aluno se rebelou e tentou sair da sala. O aluno foi seguro pelo professor. O aluno, muito menor que o professor, tentou se desvencilhar… e o professor disse que levou um soco no olho…
O aluno pode ser espancado e sofrer todo tipo de violência que a imprensa dá pouca ou nenhuma atenção. Mas, o professor que leva um tapa no rosto na hora que se engalfinha com o aluno, vai parar no hospital e fica internado para observação… imagina, então, se o aluno atirar uma “bolinha de papel” na cabeça do professor…
Este professor de Constantina -RS, com certeza, vai ganhar pelo menos seis meses de licença médica. Porque bater em aluno, cometer covardia e mentir “estressa” muito…
Mos casos divulgados pelas imprensa, não conhecemos nenhum caso, mas nenhum caso, mesmo, de aluno acusado de agressão que tal “agressão” não tenha sido uma reação contra ofensas físicas ou morais praticadas por funcionários ou professores… Basta ler a notícia com cuidado.
Agora, lá vem a Dona Globo e o Caco Barcelos como um Rolo Compressor em cima do aluno.
E parece que dormem insanos e contentes por que agradam à corporação de maus professores… Incentivam a violência e transformam aluno de escola pública em perigo número um para a sociedade… Fomentam a injustiça e a covardia; e se esquecem que esse é o maior ingrediente para a violência.
A violência e a brutalidade, a injustiça e os maus exemplos da escola saem dali e serão reproduzidas na rua.
Dessas aulas de canalhice que a imprensa incentiva, o resultado atinge a todos na rua.
Estamos longe de uma cultura de paz. Paz sem justiça é repressão… e não dá certo.
A violência é democrática… não escolhe condição social nem religião.
Amanhã, a família desses repórteres e medalhões da imprensa poderá vir a ser vitima dessa situação que hoje eles criam para agradar a poderosa, rica e mimada corporação dos maus professores.
O programa Profissão Repórter vai mentir e mostrar uma profissão que virou um cabidão de emprego… um cabidão de empregos para pessoas não comprometidas com a mais nobre função que é ensinar.
Os bons professores, os professores comprometidos, ficam olhando desolados o desmonte da escola pública pela imprensa insana e cega.

P.S.: Veja o vídeo que melhor expressa a visão da TV Globo sobre os alunos de escola pública:
TV GLOBO quer castigos mais severos?

14 Comentários

Arquivado em Impunidade, Prêmio IgNóbil de Educação, Professorinha-santa